Dissertação de mestrado em Administração na Universidade Metodista de São Paulo, junho 2002, 145 p., orientador prof. Ladislau Dowbor

ou

Na Suécia um trabalhador em cada quatro é funcionário público municipal: descobriram uma coisa óbvia, de que quanto mais perto do cidadão, mais a política responde adequadamente ao que o cidadão exige. No Brasil, ainda estamos longe: o município gere apenas 15% dos recursos públicos do país (incluindo transferências), quando nos países desenvolvidos são entre 40 e 60%. O país se urbanizou, mas continuamos com recursos públicos centralizados como nos tempos em que só existiam técnicos nas capitais. E o argumento que se ouve em Brasilia, justificando a centralização, é de que os municípios não têm capacidade administrativa. Isto está mudando com rapidez, e os municípios no país está se modernizando, informatizando, organizando. Silvério aborda um dos aspectos deste processo, que é o investimento que uma administração municipal – no caso a de São Bernardo do Campo – faz com os seus funcionários. Trata-se de um aporte singificativo numa área onde temos muito por avançar. Sugere-se cruzar a leitura desta dissertação com a leitura de outras experiências de modernização da gestão municipal (neste site, na página inicial, clique em “Gestaolocal” em baixo à esquerda do vídeo).

Autor: Luiz Silvério Silva