👏  Seja bem-vindo(a) ao nosso novo site! O site antigo ainda pode ser acessado aqui. Leia sobre o novo design do site e envie a sua opinião.
O site antigo ainda pode ser acessado aqui.
How Much Do Music and Movie Piracy Really Hurt the U.S. Economy? – setembro – 2012,2p.
Menu
SHARE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

How Much Do Music and Movie Piracy Really Hurt the U.S. Economy? – setembro – 2012,2p.

Autor
Ladislau Dowbor
Tamanho
2 páginas
Originalmente publicado
Data

Desde Goebels sabemos como mentiras de tanto repetidas criam raízes. Juntem a isto manipulação estatística, e temos um grau impressionante de desonestidade. A nota abaixo visita os números que as empresas que vendem o suporte material da criatividade de outros, apresentam como prejuízos para a economia americana em termos de vendas e empregos, o mesmo tipo de dados que nos apresentam aqui no Brasil. Pilantragem semelhante encontramos nos dados publicados pelos grandes grupos farmacêuticos sobre os custos astronômicos do desenvolvimento de um novo medicamento, justificando assim preços abusivos, números também refutados por numerosas pesquisas científicas, que pouco aparecem na mídia. Há uma verdadeira indústria da mentira, e em todo caso nunca lhes falta dinheiro para pagar esta publicidade enganosa. E ainda temos de ouvir na mensagem a recomendação: “Seja ético”! (L. Dowbor)

[gview file=”https://dowbor.org/wp-content/uploads/2012/09/How-Much-Do-Music-and-Movie-Piracy-Really-Hurt-the-U.docx” height=”400″ width=”98%” save=”1″]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Receba recomendações de leitura no seu email.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.
Pílulas Informativas
Isis Paris Maia
– 23 de maio, 2021
– 1p.
Enquanto o neoliberalismo avançou no Ocidente, o país apostou em políticas públicas robustas, infraestrutura e seguridade social. Em 40 anos, retirou 850 milhões da miséria e promoveu ampla (e planejada) urbanização, sem gerar favelas.
Assine a newsletter e faça parte da nossa comunidade.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.