👏  Seja bem-vindo(a) ao nosso novo site! O site antigo ainda pode ser acessado aqui. Leia sobre o novo design do site e envie a sua opinião.
O site antigo ainda pode ser acessado aqui.
The price of information – february – 2012, 3p.
Menu
SHARE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

The price of information – february – 2012, 3p.

Autor
Ladislau Dowbor
Tamanho
3 páginas
Originalmente publicado
Data

Mais uma excelente avaliação – em inglês – do escândalo que representa as editoras científicas internacionais travarem o acesso à ciência que nem financiaram nem produziram. O movimento de indignação da comunidade científica está se reforçando. Tão importante como o artigo, é o fato de ser publicado pelo The Economist, de sólidas tradições conservadoras. E vale a pena ler os comentários de cientistas, com excelentes argumentos. Temos ciência do século XXI e um sistema de acesso do século XIX, diz um deles. (L. Dowbor)

Link do artigo: https://www.economist.com/node/21545974

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Receba recomendações de leitura no seu email.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.
Artigos Recebidos Em Destaque
Michael Spence, Joseph Stiglitz
– 18 de março, 2021
– 13p.
Delayed vaccination of people across the world increases possibilities of virus mutation, reducing the ability to control the pandemic even in rich countries that have bagged vaccines. “The advanced countries learned, even if briefly, that austerity is counterproductive.” All of this can be done quickly if political leaders in the developed world recognize that no one is safe until everyone is safe and that a healthy world economy is not possible without recovery in its poorer parts.
Artigos Recebidos
Ajit Singh
– 25 de março, 2021
– 4p.
Vinte anos após mentirem sobre o Iraque, mídias ocidentais “denunciam” suposta perseguição aos uigures na China. O que há por trás de relatórios “independentes” cujas fontes são a CIA e a extrema direita. Até onde pode chegar a escalada?
Assine a newsletter e faça parte da nossa comunidade.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.