L.Dowbor (Comentário e orelha do livro). In: Denise Kronemberger. Desenvolvimento local sustentável: uma abordagem prática. São Paulo: Editora Senac, 2011 (277p.)

O livro de Denise Kronemberger insere-se na crescente e rica bibliografia sobre o desenvolvimento local. Denise, que trabalha essencialmente com estatísticas, produziu um estudo eminentemente prático, detalhando formas de organização, elaboração de diagnósticos, avaliação de projetos, captação de recursos e assim por diante. É um excelente instrumento de trabalho para prefeitos, vereadores, técnicos em desenvolvimento local.

É importante notar também que Denise ajudou a coordenar a publicação Indicadores de Desenvolvimento Sustentável – Brasil 2010, do IBGE. O livro entra na lista de autores como Tânia Fischer, Tânia Zapata, Genauto França Filho, Caio Silveira, Peter Spink, Silvio Caccia Bava, Juarez de Paula, Cunca Bocaiuva e numeroso outros que estão gerando uma base teórica e prática robusta para o desenvolvimento visto pelo prisma da base da sociedade.

A contribuição de Ladislau Dowbor se limita à orelha e um pouco de bibliografia, mas se trata de uma construção colaborativa em rede particularmente rica. Abaixo a íntegra do texto:


Orelha para o estudo de Denise Kronemberger

Ladislau Dowbor
23 de maio de 2011

O desenvolvimento local está na ordem do dia. A sustentabilidade também.Vários fatores contribuem para esta visão da dinâmica do desenvolvimento sustentável. Denise nos traz na primeira parte uma sistematização importante das mudanças, e abre, na segunda parte, um leque muito bem ordenado das técnicas hoje utilizadas para promover o território.

Na realidade, frequentemente tendemos a olhar as políticas de desenvolvimento buscando soluções que possam vir de cima, dos governos estadual ou federal, ou ainda das grandes empresas. Aqui, em vez de olhar para cima ou para horizontes distantes, busca-se o concreto que está à nossa volta, as soluções ao nosso alcance. São hoje muitos os municípios que decidem, de forma realista, otimizar o potencial que já existe no local, sem esperar que o desenvolvimento venha de fora. Nas palavras da autora, “todo local tem potencialidades, mesmo que latentes, à espera de serem despertadas”.

A dinamização do desenvolvimento local não vem de graça. É preciso estudar de maneira sistemática os potenciais, priorizar as intervenções, organizar os parceiros, assegurar os pactos necessários, promover uma gestão financeira eficiente, criar um ambiente de transparência capaz de dar confiança a todos os participantes. Isto envolve o que a autora chama de “novas institucionalidades”.

Um território, seja ele um município ou um conjunto de cidades de uma região, mas que tenham forte identidade, mobiliza-se em torno a uma visão. Esta construção compartilhada de uma visão do futuro permite que as ações se reforcem umas às outras, gerando um desenvolvimento integrado e sustentável. Este livro traça os caminhos de maneira simples e objetiva. Um ótimo instrumento de trabalho.