👏  Seja bem-vindo(a) ao nosso novo site! O site antigo ainda pode ser acessado aqui. Leia sobre o novo design do site e envie a sua opinião.
O site antigo ainda pode ser acessado aqui.
Empreender para sobreviver: ação econômica dos empreendedores de pequeno porte
Menu
SHARE
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Empreender para sobreviver: ação econômica dos empreendedores de pequeno porte

Autor
Ladislau Dowbor
Tamanho
Originalmente publicado
Data

Tese de doutorado em sociologia, na Universidade Federal do Ceará. A tese foi publicada pelo Banco do Nordeste – www.bnb.gov.br – 2008 – Contato duardog@bnb.gov.br

A compreensão de que devemos avançar fortemente, nas contribuições teóricas, pesquisa e levantamentos empíricos, sobre o chamado “andar de baixo” da economia – pequenos empreendimentos, cooperativas, autônomos e outros deste imenso Brasil que “se vira”, está se enraizando no Brasil. O balanço do Ipea sobre o setor informal no Brasil nos dá a cifra impressionante de 51%. Ou seja, organizar a inclusão produtiva desta metade do país é vital para a produtividade sistêmica do conjunto.

 

As propostas que estão sendo discutidas no “main stream” não trazem muita coisas interessante: populariza-se De Soto e Prahalad, que pensam dominantemente em transformar os pobres em empresários de sucesso, com simplificações que não se sustentam. No nível mundial, no entanto, são 4 bilhões, segundo o balanço do Banco Mundial (IFC – The Next 4 Billion), que “não têm acesso aos benefícios da globalização”. A inclusão produtiva está na ordem do dia, problema central do planeta, junto com os desafíos ambientais.

 

Eduardo Girão traz uma visão apoiada em experiências concretas do Nordeste, seguindo os caminhos do micro-crédito, estudando iniciativas de regiões pobres, e trazendo a avaliação das próprias comunidades sobre o que funciona e o que é inadequado. A sua dissertação de mestrado já tinha sido sobre políticas de apoio ao setor informal. A visão está centrada no desenvolvimento integrada do território.

 

Com sólido equilíbrio entre teoria e avaliações de experiências práticas, trazendo com muito realismo as dificuldades de transformar a realidade, escrevendo em linguagem simples e direta, Girão está ajudando a dinamizar esta área em rápida expansão de análise das formas de dinamização do que Milton Santos chamava de “circuito inferior” da economia. A leitura vale a pena. O contato com o autor é eduardog@bnb.gov.br

 

Autor: Eduardo Girão Santiago

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja Também

Receba recomendações de leitura no seu email.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.
Pesquisas Conexas
Arnaldo Nogueira, Ricardo Favoreto
– 3 de junho, 2019
– 6p.
O livro denuncia desacertos e também apresenta propostas. Aponta como indispensável a recuperação da produtividade da economia, que, a permanecer como está, tende a nos manter encurralados, sob o jugo do sistema financeiro.
Pesquisas Conexas
Pedro Saad (orientador: Ladislau Dowbor)
– 11 de setembro, 2018
– 124p.
O engajamento de empresas e investidores em ações sustentáveis em prol dos ODS é necessário e urgente. Temos Plena consciência de que enfrentar os problemas econômicos, sociais e ambientais que estão ligados à extrema pobreza e à desigualdade representam um enorme desafio e requerem massivos investimentos.
Assine a newsletter e faça parte da nossa comunidade.
Nós não compartilhamos o seu email com ninguém. Você receberá em média um email por mês.