bancos

Ruth Costas – Por que os bancos brasileiros lucram tanto? – março – 2015, 5p.

Segundo artigo de Ruth Costas, da BBC Brasil, e com dados do Economática, constata-se que "O Itaú teve ainda um aumento de seu lucro de 30,2% em 2014 – registrando o maior lucro da história dos bancos brasileiros de capital aberto segundo a Economatica (R$ 20,6 bilhões). O lucro do Bradesco também se expandiu bastante – 25,6%. E isso em um momento em que consultorias econômicas estimam um crescimento próximo de zero para o PIB de 2014. Diante desses números, não é de se estranhar que dos 54 bilionários brasileiros citados no último levantamento da revista Forbes, 13 estejam ligados ao setor bancário". Como o lucro bancária significa quanto se tira da economia, não quanto se investe, o travamento da economia se aprofunda. Seria positivo se fosse reinvestido no país em atividades produtivas, mas é aplicado para ganhar com a taxa Selic ou enviado para paraísos fiscais, onde não só não geram fomento mas sequer pagam impostos. (L. Dowbor)
Leia mais

Gar Alperovitz – Nationalize Banks That Overwhelm Regulation – janeiro – 2014, 1p.

Os desmandos dos grandes bancos já não estão por demonstrar. Uma coisa é a crise de 2008 e a imensa pressão para se cobrir rombos especulativos com dinheiro público, ação que até hoje trava as economias desenvolvidas. Os Estados Unidos se safam em parte irrigando a economia com dólares emitidos, eles que estão protegidos do impacto de desvalorização pelo fato da moeda deles ser internacional e o impacto de impressão do papel se diluir pelo planeta afora. Mas indo além desta crise, temos a manipulação do Libor e do Euribor, lavagem de dinheiro em grande escala do HSBC, a gestão de dinheiro de evasão fiscal (20 trilhões de dólares segundo o Economist, cerca de um terço do PIB mundial) pelos 28 bancos "sistêmicamente relevantes", indo até fraudes generalizadas com cartões de crédito e semelhantes. Gar Alperovitz participa aqui de um debate no New York Times, em que se coloca o problema que vai além do "too big to fail": são grandes demais, têm vínculos políticos demasiado poderosos e extensos para que sequer sejam regulados. Manejam inclusive um volume de recursos que ultrapassa largamente a sua capacidade de gestão racional e de uso produtivo para a sociedade. As nacionalização dos gigantes financeiros mundiais, já operada com ótimos resultados em numerosos países, está colocada na ordem do dia neste debate no New York Times. Impressionante também, nos comentários de leitores, a que ponto a necessidade de mudanças estruturais de fundo no mundo financeiro está se tornando politicamente natural. (L. Dowbor)
Leia mais

James Petras -The Great Transformation: From the Welfare State to the Imperial Police State – 2012, 7p.

Artigo de James Petras (em inglês, 7 paginas) sobre a degradação da democracia americana nas últimas décadas. Uma síntese de rara felicidade. Assunto escorregadio em termos ideológicos, mas vital para o nosso futuro. A liberalização financeira e redução dos impostos dos ricos aumentaram a desigualdade e fragilizaram as finanças do… Leia mais



© 2020 Ladislau Dowbor. Criação WowBrazil | Tema original Feelsen por Sérgio Vilar