Mural de recados
(133)
(113) Ladislau
22 - 01 - 2015
email

Dicas e sugestões de leitura - jan/15

Caros,


Aos trancos e barrancos estamos entrando no ano 2015, ano de grandes momentos, em torno do que vem depois dos objetivos do milênio (Nova Iorque), do aquecimento global (Paris), do financiamento do desenvolvimento sustentável (Addis Abeba) e outros. A tal da “catástrofe em câmara lenta” continua catastrófica, só que em câmara cada vez menos lenta. A Unep lembra em relatório de 2015 que há cerca de 300 trilhões de dólares (o Pib mundial é de 70 trilhões) rodando no sistema financeiro (sem contar derivativos) e que poderiam financiar o descalabro social de grande parte do planeta e a reconversão tecnológica necessária para reduzir os impactos ambientais (www.unep.org).


Na linha dos textos no nosso blog, o problema real não é de falta de recursos, e sim da geração de um sistema de governança que permita o seu uso na economia real. Estamos disponibilizando alguns textos novos, lembrando sempre que o blog dowbor.org é essencialmente uma biblioteca científica, disponibilizando textos relevantes e não necessariamente recentes.


1) Está agora disponível online na íntegra o livro Educação para a Sustentabilidade, (http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/) organizado por Janette Brunstein, Arilda Godoy e Hélio Silva. Os organizadores montaram uma coletânea sobre uma temática importante tanto para a academia como para gestores em geral: já não é possível formar administradores sem que compreendam a dimensão dos desafios ambientais. A simples busca da eficiência a curto prazo, que tanto prevaleceu nos currículos dos futuros gestores, está nos levando a desastres planetários. Trata-se aqui de 17 textos, com autores de primeira linha, sobre como redimensionar a educação para a sustentabilidade. O capítulo de Dowbor encerra o livro. (http://dowbor.org/2012/05/8972.html/)


2) Saiu também a coletânea organizada por Ignacy Sachs e François Mancebo, Transitions to Sustainability, com textos elaborados a partir dos encontros científicos da universidade de Reims, França. A ideia geral é sistematizar propostas para um mudança de rumos nas formas de gestão econômica e social, visando a sustentabilidade. Os três eixos principais do livro se referem ao resgate do planejamento (back to planning), à necessidade de um novo contrato social, e às formas correspondentes de governança. O capítulo de Dowbor é Economic Democracy: meeting management challenges in Brazil. A Springer infelizmente ainda trabalha com condições estritas de copyright. O livro está disponível no Amazon, na versão impressa e em eBook. (www.springer.com)


3) A Garamond lançou o livro Desenvolvimento, inovação e sustentabilidade: contribuições de Ignacy Sachs. Trata-se de uma coletânea com visão prospectiva e propositiva, reunindo autores como Cristovam Buarque, Luciano Coutinho, Jorge Wilheim e outros, além de um prefácio de Enrique Iglesias. Pela qualidade das contribuições e a visão prática de construção de alternativas, trata-se de uma iniciativa muito feliz. O capítulo Crises e oportunidades em tempos de mudança, que oferece uma visão ampla dos desafios e das propostas que estão na mesa, é de autoria conjunta do próprio Ignacy Sachs, de Carlos Lopes e de Ladislau Dowbor. Link do capítulo http://dowbor.org/2013/05/crises-e-oportunidades-em-tempos-de-mudanca-jan-2.html/


4) My essay Economic Democracy has been published by Lambert Academic Publishing, 2014. The general idea is that limiting democracy to its political expression is becoming less realistic, rendering us even more skeptical. For politics once again to make sense, we have to evolve to a more democratic concept of the economy itself. This essay presents in a simple way the various theories about economic alternatives in international literature and shows that there is a new outlook under construction. The book can also be purchased through Amazon or other, as Economic Democracy: a Brazilian Perspective – LAP Lambert Academic Publishing, Saarbrücken, 2014 – ISBN 978-3-659-62819-1- Online manuscript: link to download: http://dowbor.org/09economicdemocracykd.doc


5) Em Artigos Recebidos, veja o importante artigo de Amartya Sen sobre as vantagens da saúde pública universal. O prêmio Nobel mostra que o acesso não só apresenta maior eficiência com menores custos, como melhora a produtividade econômica. Saúde não é "gasto", é investimento nas pessoas, além de uma finalidade em si em termos de qualidade de vida. O artigo merece ser traduzido e difundido, inclusive pela visibilidade mundial do autor. Aqui em inglês, 5 páginas, janeiro de 2015 - http://dowbor.org/2015/01/amartya-sen-universal-healthcare-the-affordable-dream-janeiro-2015-5p.html/

Abraço, Ladislau









(112) Ladislau Dowbor
05 - 12 - 2014
email

Notícias Ladislau - dezembro - 2014

Caros,

Tenho profunda esperança que o ambiente natalino reduza um pouco as tensões herdadas da campanha eleitoral. Bom descanso para todos, e como é função de todo professor, recomendações de leitura:

1) Tenho a pretensão de achar onde está o principal mecanismo de travamento da nossa economia, bastando para isto inverter o sentido que nos recomenda a mídia comercial. O artigo tem 10 páginas, e posso dizer que a conta fecha, ficou redondo. Você tem a opção de pegar o artigo online no meu site, no link http://dowbor.org/category/artigos/, e também de comprar nas bancas o Le Monde Diplomatique deste mês, e vai encontrar o artigo com o título O sistema financeiro trava a economia do país. Já recomendei este artigo no mês passado, mas fiz algumas atualizações, e acho que é muito importante entendermos isto. Francamente, estamos sofrendo um imenso calote, e a mídia nos explica que é para o bem da economia, ou seja, de todos nós. Mais que um artigo, é uma comprovação da dimensão dos desvios. Já foi publicado em Outras Palavras e Carta Maior, e está circulando muito. Link no meu site: http://dowbor.org/2014/09/ladislau-dowbor-o-sistema-financeiro-atual-trava-o-desenvolvimento-economico-do-pais-setembro-2014-11p.html Site do Le Monde Diplomatique Brasil: http://www.diplomatique.org.br/edicao_mes.php
2) Na mesma linha, gravei para a TV Rede Vida uma entrevista de 20 minutos explicitando estes mesmos mecanismos utilizados pelos crediários, bancos e taxa Selic. Ficou bastante didático, para quem se cansa ao ler tabelas. E 20 minutos, francamente, vocês ficam no lucro. http://dowbor.org/category/videos-online/
3) Belíssima leitura de férias, o terceiro volume de Getúlio do Lira Neto (Cia. das Letras) que pega a fase 1945 até o suicídio em 1954. O paralelo com o que temos vivido é muito interessante: “...levou Carlos Lacerda a cunhar a expressão “mar de lama” para definir o fenômeno. Segundo os oposicionistas, a corrupção se tornara endêmica no país. As denúncias envolviam irregularidades na concessão das loterias federais a compras de locomotivas para a Central do Brasil sem licitação. Um caso sucedia o outro, em um encadeamento permanente de revelações comprometedoras... etc.”(258) “Roberto Marinho já pusera os microfones da Rádio Globo à disposição de Carlos Lacerda, ampliando o alcance das denúncias da Tribuna da Imprensa. Chatô passava a fazer o mesmo com as câmeras da Tupi...” (247) Enfim, temos sólidas tradições de sacanagem. O livro é um colírio mental.
4) O novo filme de Silvio Tendler ilumina e esclarece a lógica da política em tempos marcados pelo crescente desmonte do Estado brasileiro. A visão do Estado mínimo; a venda de ativos públicos ao setor privado; o ônus decorrente das políticas de desestatização traduzidos em fatos e imagens que emocionam e se constituem em uma verdadeira aula sobre a história recente do Brasil. Assim é Privatizações: a Distopia do Capital. Realização do Sindicato dos Engenheiros no Estado do Rio de Janeiro (Senge-RJ) e da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge), com o apoio da CUT Nacional, o filme traz a assinatura da produtora Caliban e a força da filmografia de um dos mais respeitados nomes do cinema brasileiro. Vejam em: http://dowbor.org/2014/11/privatizacoes-a-distopia-do-capital-2014-nov-2014-56min.html/

5) Uma pérola o último artigo de Celso Furtando, publicado em novembro de 2004, já apontando o custo que as elites cobram para tolerar políticas sociais. E os juros no centro do processo: “Não havia como escapar a essa dura realidade: o sistema econômico só funcionava de forma regular quando a remuneração do capital atingia determinados níveis. Essa constatação nos permite entender outro ponto intrigante da dinâmica da economia brasileira: suas extravagantes taxas de juros.” Link do curto artigo: http://www.centrocelsofurtado.org.br/arquivos/image/201411191728100.Dossier%20CF%2020%20nov%202014%20ArtigoJBNovembro2004.pdf

Um grande abraço, boas festas, muita farra, e seja o que Deus quiser. Deus, não os bancos.

Ladislau


(111) Ladislau Dowbor
29 - 10 - 2014
email

Notícias Ladislau - outubro - 2014

Caros, passou o tsunami das eleições. Houve muito ódio acumulado, em particular por parte de uma mídia que desempenhou um papel vergonhoso. Mas o que temos pela frente é o avanço nas mudanças. No lugar do ódio, vamos colocar propostas. As necessidades estão escancaradas: a reforma política, base sistêmica inclusive do enfrentamento da corrupção, mas sobre tudo da fragilidade administrativa da máquina pública e da deformação de setores corporativos privados. A reforma tributária, pois não é possível um país tão desigual ter uma política fiscal regressiva. A reforma financeira, tornando os nossos recursos disponíveis para financiar as transformações necessárias, em vez de alimentar a ciranda do dinheiro. Enfim, já que todos falaram em mudança, vamos fazê-las.

1) Fiz um artigo curto para explicitar o “nó” que trava a nossa economia, e que reside no sistema de intermediação financeira. Na linha do livrinho “Os Estranhos Caminhos do nosso Dinheiro”, que está circulando muito, fiz um artigo resumido mostrando os 3 principais entraves, na demanda, no investimento e na dívida pública, tipo Triângulo das Bermudas do sistema. Está no blog e foi publicado em Outras Palavras, deve sair no Carta Maior. (Le, coloca aqui os links, é o mesmo texto com títulos diferentes, tem de deixar claro para leitor) http://outraspalavras.net/brasil/bancos-o-peso-morto-da-economia-brasileira/ No site o artigo está com o título: O sistema financeiro trava o desenvolvimento econômico do país. http://dowbor.org/2014/09/ladislau-dowbor-o-sistema-financeiro-atual-trava-o-desenvolvimento-economico-do-pais-setembro-2014-11p.html/

2) Saiu publicada uma excelente coletânea organizada por Silvio Caccia Bava, do Le Monde Diplomatique Brasil (Le, coloca o link do site deles), Thomas Piketty e o Segredo dos Ricos, Editora Veneta. O desafio da desigualdade está na ordem do dia, e tornou-se vital entender como se aprofunda, e como inverter a dinâmica. Autores internacionais de primeira linha, inclusive o próprio Piketty. Veja o link no Diplo em http://www.diplomatique.org.br/acervo.php?id=3077&tipo=acervo e no meu blog em http://dowbor.org/2014/06/ladislau-dowbor-pikettismos-a-desigualdade-na-mira-junho-2014-3p.html/
3) Lançamos também uma coletânea sobre A Internacional do Capital Financeiro, organizada por Joaquim Palhares, do Carta Maior, textos curtos sobre como Belluzzo, Pochmann, Tarso Genro e outros veem o desafio da internacionalização do capital financeiro. Eu continuo convencido que temos aqui a principal deformação sistêmica do capitalismo, e enquanto Piketty pega a dimensão internacional e dos países ricos, a presente coletânea faz a análise partindo da visão brasileira. O meu capítulo está disponível no blog em http://dowbor.org/2014/06/ladislau-dowbor-pikettismos-a-desigualdade-na-mira-junho-2014-3p.html/
4) Lançamos também o livro Educação para a Sustentabilidade, organizado por Janette Brunstein e outros, analisando em particular como inserir os desafios da sustentabilidade nos cursos de administração. Não dá mais para formar administradores que estudam a performance econômica e esquecem os desafios dos impactos sociais e ambientais. Veja em http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/ O meu capítulo, Entendendo a Rio+20, encerra a coletânea, e apresenta o leque de leituras básicas sobre a sustentabilidade. http://dowbor.org/2012/05/8972.html/
5) Enfim, ainda em Livros em Colaboração no meu blog, vejam a nota sobre o livro lançado por Márcia Moussallem, Terceiro Setor: um ator estratégico, Editora Plêiade, sobre um tema tão importante para todos nós. Os avanços não se darão sem forte participação da sociedade civil organizada. Eu apenas contribuí com uma nota na contracapa, mas acho o livro muito importante. http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/

Quisera trazer uma visão geral que me é cara: perseguir corruptos é necessário, mas fazer disto uma guerra santa, sem entender o sistema que os gera e os protege, é uma atitude míope. Como já disse em um artigo, o sistema permanece, e agradece. Na nossa área, dos que tentam analisar os processos, não podemos nos dar ao luxo do ódio: temos de trazer soluções. Os textos que trazemos buscam todos esta dinâmica. Candidatos a corruptos, a ditadores, a aproveitadores de toda espécie, inclusive corruptos que navegam na denúncia como plataforma política, existirão sempre. Temos de fazer a lição de casa com a cabeça, não com o fígado. Vamos investir nas reformas, na mudança.
Nota: para recomendações de leitura dos meses passados, veja o Mural http://dowbor.org/mural/

Abraço, Ladislau


(110) Ladislau Dowbor
24 - 09 - 2014
email


Notícias Ladislau - setembro - 2014

Caros e caras,

Aí vão algumas coisas para ler ou para ver, que me passaram pelas mãos e pelos olhos no último mês. Como sempre, você pode ver no mural do meu blog as recomendações dos últimos meses. De certa maneira, vai-se constituindo assim uma biblioteca seletiva, com acesso direto online dos estudos completos. Mais do que tentar ler tantas coisas que aparecem, vale a pena gastar um tempo selecionando o que vale a pena. Abaixo, e no acúmulo do mês passado, dicas do que ficou na minha peneira.

1) Saiu um livro de discussão sobre o estudo de Thomas Piketty, O Capital no Século XXI, que está gerando uma comoção planetária ao escancarar os mecanismos da desigualdade. Não é modismo, é um aporte teórico fundamental, e a presente coletânea avalia os diversos impactos teóricos e práticos. Com contribuições curtas e diretas do próprio Piketty, além de Dowbor, Vergopoulos, Kempf, Panier, Gondim e Lettieri, Belluzzo, Geuens, Russell Jacoby, Daie e Pinheiro Guimarães, este pequeno livro permite um giro no horizonte das implicações da imensa desigualdade planetária gerada. Ajuda na compreensão das dinâmicas, e na definição de propostas. Silvio Caccia Bava (org.) - Thomas Piketty e o segredo dos ricos - Le Monde Diplomatique, Ed. Veneta, São Paulo 2014, ISBN 978-85-63137-25-8, 142p. Contato para aquisição do livro, www.diplomatique.org.br ; para o capítulo de Ladislau Dowbor veja http://dowbor.org/2014/06/ladislau-dowbor-pikettismos-a-desigualdade-na-mira-junho-2014-3p.html/
2) Não podia deixar de me manifestar sobre a eleição presidencial, e tentei em duas páginas organizar os meus argumentos. Posso ser Corintiano, mas em política eu tento entender que forças melhor podem contribuir para o país. Busco assim valorizar o pouco de homo sapiens que aflora dentro de nós quando se trata de política. O texto está disponível em http://dowbor.org/blog/wp-content/uploads/2014/09/voto-dilma.pdf e outros lugares.
3) No artigo O sistema financeiro atual trava o desenvolvimento econômico do país, tentei resumir, em texto de 10 páginas, como funciona o sistema de drenagem de recursos da área produtiva (investimento e consumo) para o controle de intermediários que pouco contribuem, mas drenam muito. Acho francamente que é essencial esta compreensão sair do limitado circuito de economistas, pois se trata dos nossos recursos. Fica claro, inclusive, como podemos ter um quase pleno emprego mas tão pouco PIB. É um tema ao qual tenho voltado, inclusive com o livrinho “Os Estranhos Caminhos do Nosso Dinheiro”, mas que reune aqui os argumentos para entender os entraves, não muito diferentes do que fazem os grupos comerciais quando se tornam atravessadores. http://dowbor.org/2014/09/ladislau-dowbor-o-sistema-financeiro-atual-trava-o-desenvolvimento-economico-do-pais-setembro-2014-11p.html/
4) No artigo/entrevista Porque o PIB é um indicador medíocre, para a revista Jus Econômico, tentei em conversa com Cátia Santana explicitar os argumentos em torno à medição dos nossos resultados econômicos e sociais. A Cátia fez um belo trabalho, e o resultado é uma síntese muito feliz, está circulando muito na internet em diversos meios, em particular Outras Palavras. O artigo é curto, cerca de 3 páginas, disponível em http://dowbor.org/2014/09/ladislau-dowbor-o-pib-e-um-indicador-mediocre-setembro-2014-6p.html/
5) Não há como escapar da discussão tão incompreendida do nosso sistema tributário. Só vemos idiotices do tipo do “impostômetro”, quando se trata de reorientar tanto a captação como a alocação dos recursos públicos. A deformação é profunda, e pesa no desenvolvimento do país. Recebi nesta área dois excelentes estudos muito recentes. O primeiro é da Oxfam, instituição de pesquisa internacional de primeira linha, que apresenta o artigo Justiça fiscal para reduzir a desigualdade na América Latina e o Caribe, cerca de 30 páginas de texto seguido de notas, ajuda muito a entender. O link é http://www.oxfam.org/sites/www.oxfam.org/files/file_attachments/bp-lac-fiscal-justice-100914-pt.pdf?utm_source=oxf.am&utm_medium=DkN&utm_content=redirect O outro artigo trata especificamente da situação no Brasil, elaborado pelo INESC, com apoio da Oxfam, As implicações do sistema tributário brasileiro na desigualdade de renda. Link: http://www.inesc.org.br/biblioteca/textos/as-implicacoes-do-sistema-tributario-nas-desigualdades-de-renda/publicacao/
6) Finalmente, gostaria de recomendar muitíssimo uma joia de filme científico sobre como funcionam as articulações econômicas e políticas no mundo, The Four Horsmen, título claramente inspirado nos quatro cavaleiros da apocalipse, documentário de hora e meia, um dos melhores investimentos que você pode fazer no seu capital de compreensão de dinâmicas internacionais. Eles fizeram a lição de casa. O filme é de livre acesso no youtube com legendas. http://dowbor.org/category/videos-online/


Abraço, Ladislau



(109) Myrian Joppert de Moura
01 - 09 - 2014
email

Muito bom! Adorei a entrevista na TV Brasil, só é necessário divulgar mais suas ótimas explicações, ao alcance de quem não é técnico nas áreas como economia, finanças, política,etc.



(108) Ladislau Dowbor
25 - 08 - 2014
email

Notícias Ladislau – Agosto 2014

Caros, apesar da proximidade das eleições, ainda há espaço para produção intelectual interessante. De certa forma, nem todos os esforços criativos migraram do cérebro para o fígado. Boas leituras...

1) Novos arranjos institucionais participativos na gestão municipal – Resenha do livreto The Tragedy of the Private: potential of the public de Hilary Wainwright, texto de excepcional importância e clareza didática sobre os dilemas entre privatizar ou assegurar serviço publico, quando se trata de politicas sociais. A linha geral proposta é de parcerias entre o setor publico e as organizações sociais de interesse publico. Permite assegurar interesse publico combinado com a agilidade das organizações da sociedade civil. Em vez de PPP (parceria publico-privado), é parceria publico-publico. Muitos exemplos de bom funcionamento. Quem acompanha os desmandos dos planos privados de saúde ou da gestão da água pode ver aqui alternativas interessantes. Veja a resenha de 4p. em Dicas de Leitura.
http://dowbor.org/2014/08/hilary-waiinwright-the-tragedyof-the-private-the-potential-of-the-public-a-tragedia-do-privado-e-o-potencial-do-publico-agosto-2014-4p.html/

2) Entrevista de Dowbor na TV Brasil (canal 4 da Net): longa entrevista/debate (1:20h), sobre como funciona a economia, em particular o papel dos bancos e do sistema de intermediação financeira. O ‘destravamento’ da economia sugerido vai na linha da recuperação dos mecanismos de gestão e controle dos recursos: o sistema atual trava investimentos sociais públicos com a taxa Selic (entre 150 e 200 bi por ano de dinheiro público para os bancos), dificulta os investimentos empresariais com os elevados juros para pessoa jurídica (50%), e fragiliza a demanda através dos elevadíssimos juros para pessoa física (100%) e dos crediários (72%). Tratem como uma animada aula de economia, sem peso de economês. Para alunos então, bom material para debate.
http://dowbor.org/2014/08/entrevista-com-ladislau-dowbor-programa-o-espaco-publico-agosto-2014-1h20min.html/

3) Entrevista de Dowbor no canal Futura, (13 min.) sobre a sustentabilidade ambiental e econômica do modelo atual no Brasil. A discussão envolve também o PIB e formas alternativas de medida dos nossos avanços, além da necessidade de se recuperar o controle do sistema de intermediação e especulação financeira.
http://dowbor.org/2014/08/entrevista-ladislau-dowbor-no-canal-futura-novo-indice-de-riqueza-agosto-2014-13-min.html/

4) Saiu pela editora Educ, da PUC-SP, o livro Propriedade Intelectual e Direito à Informação, organizado por Ladislau Dowbor e Hélio Silva, com contribuições de Alan Angeluci, André de Mello e Souza, Carlos Seabra, Daniel Gatti, Diogo Cortiz, Francisco Caminati, Helio Silva, Ladislau Dowbor, Laymert dos Santos e Leonardo Trevisan, além dos próprios organizadores. Entre os que criam, os intermediários e os usuários, é preciso criar um novo equilíbrio. Livro disponível para download na íntegra.
http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/

5) A gestão social está cada vez mais no centro do debate sobre a viabilização do desenvolvimento e a organização de uma sociedade que funcione. Maria do Carmo Brandt de Carvalho, com muitos anos de experiência na área do serviço social, trabalha a articulação necessária entre a gestão social, as políticas de desenvolvimento do território e os sistemas participativos. O resultado é o livro Gestão Social e Trabalho Social, da editora Cortez, com prólogo de Ladislau Dowbor disponível para download.
http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/

6) O filme Entre Rios conta em 25 minutos como na história São Paulo se conjugaram as políticas de gestão da água e de opção de transportes. Em vez da proposta de Saturnino de Brito (aquele que organizou o sistema de canais pluviais em Santos), que projetou uma cidade de São Paulo de frente para os seus rios, transformados em espaços de lazer e convívio, coração da cidade como é o Sena em Paris ou o Tâmisa em Londres, prevaleceram os interesses imobiliários e das elites donas de carros, permitindo a Prestes Maia enterrar os rios e priorizar o transporte individual, política que seria reproduzida por sucessivos malufismos. Gerou-se o atual encalacramento entre enchentes de carros e enchentes de rios, carros parados e esgotos a céu aberto, contaminação das águas locais e esgotamento das águas de bacias distantes. Uma excelente visão de conjunto, faz entender a necessidade de visões estratégicas e de longo prazo. Ótimo material para entender as dinâmicas e promover discussões.
http://vimeo.com/14770270

Abraço, Ladislau


(107) Ladislau Dowbor
25 - 08 - 2014
email



Notícias Ladislau - Julho - 2014


Caros,



1) Vejam curto texto meu sobre as iniciativas de democracia participativa. O texto na nossa Constituição é claro, e se trata nada menos do que do fundamento da democracia: “Todo poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição.” Está logo no artigo 1º, e garante portanto a participação cidadã através de representantes ou diretamente. Ver na aplicação deste artigo, por um presidente eleito, e que jurou defender a Constituição, um atentado à democracia não pode ser ignorância: é vulgar defesa de interesses elitistas por quem detesta ver cidadãos se imiscuindo na política. Preferem se entender com representantes. http://dowbor.org/2014/06/ladislau-dowbor-participacao-e-democracia-junho-2014-2p.html/


2) Na mesma linha, nota importante de Luiz Carlos Bresser Pereira, na Folha de S.Paulo, 12.6.2014: "Liberais afirmam que o decreto sobre participação social implica o risco do surgimento de "um poder paralelo". Puro nonsense. A reação negativa de certos setores da sociedade ao decreto definindo a política de participação social do governo revela sua determinação de limitar a qualidade da democracia brasileira; de fazê-la perder o caráter razoavelmente participativo, que já tem, para ser apenas liberal." http://www.bresserpereira.org.br/articles/2014/39-Democracia-participativa.pdf


3) Vejam texto de excepcional importância e clareza didática sobre os dilemas entre privatizar ou assegurar serviço publico, quando se trata de politicas sociais. A linha geral proposta é de parcerias entre o setor publico e as organizações sociais de interesse publico. Permite assegurar interesse publico combinado com a agilidade das organizações da sociedade civil. Em vez de PPP (parceria publico-privado), é parceria publico-publico. Muitos exemplos de bom funcionamento. Quem olha os desmandos dos planos privados de saúde pode ver aqui alternativas interessantes. Texto de 48 p., em inglês.http://dowbor.org/2014/07/hilary-wainwright-the-tragedy-of-the-private-the-potential-of-the-public-julho-2014-48p.html/


4) Forte artigo de Joseph Stiglitz (em inglês) sobre o drama da desigualdade, que se tornou um circulo vicioso descontrolado, com os grandes grupos financeiros manejando suficiente apropriação da política para torcer as leis, e em particular o sistema tributário, a seu favor, além de executivos ganhando 300 vezes o que ganham os empregados. Em resumo: "The American political system is overrun by money. Economic inequality translates into political inequality, and political inequality yields increasing economic inequality." Do lado da produção, o sistema destrói o meio ambiente. Do lado da distribuição, desarticula a sociedade. E pela apropriação da política, os intermediários financeiros se apropriam dos recursos que seriam necessários para inverter as duas tendências criticas.
http://dowbor.org/2014/07/josefh-e-stiglitz-inequality-is-not-inevitable-julho-2014-4p.html/


5) Em fotos vejam carros elétricos públicos em Paris, milho transgênico estéril, e não deixem de assistir Viva a Liberdade que está em cartaz, exelente gozação política. Um pouco de bom humor nessa área ajuda.
http://dowbor.org/category/fotos/



Abraço, Ladislau


(106) Ladislau
27 - 05 - 2014
email

Caros amigos,

1) Queria reforçar antes de tudo a sugestão que leiam o meu Mecanismos Econômicos, texto que coloquei online há um mês, e que ainda não foi publicado. São cerca de 100 páginas, um sobrevôo de como funciona a economia realmente existente. Continuo convencido que alguns mecanismos básicos todos devem entender, pois se trata do bolso de todos nós. http://dowbor.org/principais-livros/

2) A pedidos da União Europeia (EUNIC – European Union National Institutes for Culture) escrevi um texto de 5 páginas sobre os potenciais de cooperação cultural entre a União Europeia e o Brasil. O texto foi publicado em inglês e em alemão, e divulgado entre mais de 2000 instituições afiliadas em 150 países. Sou suspeito, mas a meu ver saiu redondo na análise e nas propostas.
Link inglês http://dowbor.org/2014/05/ladislau-dowbor-this-spaceship-called-earth-maio-2014-143-147p.html/
Link alemão http://dowbor.org/2014/05/ladislau-dowbor-europa-von-ausen-erwartungen-an-die-europaische-ausenkulturpolitik-2014-mai-143-147p.html/

3) Coloquei em Dicas de Leitura uma resenha do livro do Eduardo Felipe Matias, A Humanidade Contra as Cordas, que saiu pelo Planeta Sustentável e a editora Paz&Terra. É um bom balanço dos desafios ambientais que enfrentamos, vale a pena. http://dowbor.org/category/dicas-de-leitura/ Na mesma linha, colocamos em Livros em Colaboração uma boa coletânea sobre educação ambiental, Encontros e Caminhos, organizado por Luiz Antônio Ferraro. http://dowbor.org/livros-em-colaboracao/

4) Vejam entrevista minha em vídeo, 17 min., na USP/ESALQ, sobre a sustentabilidade urbana, educação ambiental, e as mudanças culturais necessárias. É um instrumento de trabalho, legal por exemplo para passar numa sala de aula ou reunião comunitária para abrir discussão. http://dowbor.org/category/videos-online/

5) Aproveito para recomendar um excelente vídeo que a ESALQ produziu sobre o Rio Piracicaba, mas na realidade uma visão sistêmica muito bem organizada sobre o desafio da água, este “ouro azul” que tanto maltratamos. http://dowbor.org/category/videos-online/

6) Em Pílulas informativas, vejam o artigo que saiu pela Forbes sobre os bilionários do Brasil, artigo divulgado aqui pela Carta Capital. Precisamos ultrapassar esta visão de que as grandes fortunas são simplesmente legítimas, e ver como se formaram, e a que servem. No caso, se trata essencialmente fortunas muito ligadas a concessões do Estado, como banqueiros (Carta Patente do Banco Central), meios de comunicação (concessão pública), ou de construtoras (contratos públicos). http://dowbor.org/category/pilulas-informativas/

7) Informo ainda que o livrinho Tecnologias do Conhecimento: os desafios da educação é utilizado em rede nacional de educação básica, pelo MEC, na publicação Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC, 2013. Veja p. 34 do texto. Link http://www.labtime.ufg.br/modulos/tecnologias_na_educacao_cursista/ebooks/cursista02/curso02_cursista.pdf

Abraço, Ladislau



(105) Ladislau Dowbor
09 - 05 - 2014
email

Caros,

O meu livrinho Tecnologias do Conhecimento é utilizado em rede nacional de educação básica, pelo MEC, na publicação Tecnologias na Educação: ensinando e aprendendo com as TIC, 2013. Veja p. 34 do texto. Link

http://www.labtime.ufg.br/modulos/tecnologias_na_educacao_cursista/ebooks/cursista02/curso02_cursista.pdf

(104) Ladislau Dowbor
09 - 05 - 2014
email

Caros,
Artigo meu, curto (5p), sobre os potenciais de colaboração entre Brasil e Europa, a pedido da EUNIC (European Union National Institutes of Culture),rede de 2000 instituições da UE em 150 países. Em inglês, 2014,vejam p. 143 e seguintes.

http://www.ifa.de/fileadmin/pdf/kr/2014/kr2014_en.pdf

"Ladislau Dowbor, a political
scientist based in Săo Paolo, gently points out
that the question of Brazil‘s expectations of
Europe is actually missing the point. “We
are all big boys now.” The time has long gone
when Latin America was still trying to find
ways of joining the modern world. Now it is a
case of addressing common global challenges
that individual countries can no longer tack-
le alone: financial chaos, climate change and
growing social inequality." (da apresentação)


 Seu nome *
 Seu e-mail *
 Seu site
 Mensagem *
* Obrigatório

Medidas Antispam
Por favor, insira o texto abaixo no campo antes de enviar a mensagem para o livro de visitas.
3 + 7=