A produtividade sistêmica da nossa economia depende da adequada alocação de recursos. Os recursos financeiros em si não representam nada, são hoje sinais magnéticos nessa era do intangível e do imaterial. Mas permitem sim, dependendo de quem os maneja e com que fins, gerar desenvolvimento do país ou levá-lo à estagnação ou à recessão. O sistema financeiro, consistindo em fluxos, tem de ser visto de maneira integrada.

Confira a íntegra de “O Fluxo Financeiro Integrado e a Produtividade Sistêmica da Economia”, publicado na revista “Economistas” do Conselho de Federal de Economia (COFECON), clicando no link abaixo:

http://dowbor.org/blog/wp-content/uploads/2018/04/Dowbor-Revista-Economistas-Ed.27-2018.pdf