Share on Facebook226Share on Google+0Tweet about this on TwitterPin on Pinterest0Email this to someonePrint this page

Série “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate”: Ladislau Dowbor

 

 

O economista fala sobre a importância da participação social nas políticas públicas e da relação entre os números e a realidade social para a educação

    Série Atlas Brasil 2013 - Desenvolvimento Humano em debate
    “AS PESSOAS QUE NÃO ESTÃO INFORMADAS NÃO PARTICIPAM. FICAM INDIGNADAS E REVOLTADAS COM OS PROBLEMAS, MAS NÃO PARTICIPAM NO SENTIDO CONSTRUTIVO”, LADISLAU DOWBOR
    Sobre o Atlas Brasil 2013
     
    Acesse agora: 
     
    O Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil é um site de consulta ao Índice de Desenvolvimento Humano Municipal – IDHM – e a mais de 200 indicadores socioeconômicos que apoiam sua análise. Com dados dos Censos Demográficos de 2010, 2000 e 1991, o Atlas traz informações de 5.565 municípios brasileiros.

    10 Outubro 2013

    do PNUD

    “É preciso estar bem informado para poder lutar por uma sociedade melhor. E ter acesso a indicadores que revelam o desempenho dos municípios na área do desenvolvimento humano é fundamental.” Esta é a opinião de Ladislau Dowbor, economista e professor titular no departamento de pós-graduação da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), nas áreas de economia e administração. “Quando você gera indicadores, estatísticas, que permitem às pessoas conhecer melhor a sua realidade, isso propicia que elas possam responder com participação”, diz.
    Dowbor é o primeiro entrevistado da série de vídeos “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate” gravada para o “Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil 2013”, um site de consulta ao Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM) e a mais de 200 indicadores socioeconômicos dos estados e municípios brasileiros. Na entrevista, Ladislau aborda temas como uso de indicadores municipais, educação e participação popular. O economista também questiona a função do Produto Interno Bruto (PIB) e o seu uso pela mídia como “arma ideológica”.
    Veja alguns temas de destaque da entrevista:
    Números e a realidade social
    Para o professor, o processo de educação deve refletir a realidade local e cotidiana da comunidade para que os cidadãos possam entender a relação entre um número e a realidade que ele representa. “Nossa falha é, em grande parte, a insuficiente vinculação entre a vivência concreta das pessoas e os instrumentos de quantificação que estamos desenvolvendo. Quando você faz essa ponte, as pessoas se apropriam e se apropriam muito rapidamente”, explica. “Essa apropriação dos números, da conexão dos números com a vivência das pessoas, com o conhecimento da realidade, é vital”, afirma Dowbor, usando um exemplo do pedagogo Paulo Freire.
    O PIB
    Ladislau Dowbor é enfático em relação ao PIB e afirma que o indicador se tornou uma arma ideológica para a imprensa. “Temos uma situação no Brasil em que a taxa de desemprego é a menor da história, tirou-se 40 milhões de pessoas da miséria, 19 milhões de pessoas adquiriram emprego formal, o nível de renda das pessoas aumentou brutalmente, mas dizem que ‘o PIB ainda está pequeno’. Afinal, se trata da situação da população ou do PIB?”, questiona o economista.
     
     
    Série de vídeos “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate”
    As entrevistas para a série “Atlas Brasil 2013 – Desenvolvimento Humano em debate” foram gravadas com representantes de governos estaduais e municipais, ONGs, setor privado, academia, entre outros. Cidadania, transparência, gestão pública e indicadores municipais são os temas centrais das entrevistas, que procuram demonstrar como indicadores de desenvolvimento humano podem colaborar para o empoderamento da sociedade, orientando caminhos e provocando a reflexão sobre os rumos do desenvolvimento humano no país.
    Acompanhe a série também pelo canal do YouTube do PNUD Brasil.
    Fonte: http://www.pnud.org.br/Noticia.aspx?id=3771