O ser humano sempre se julgou o único “sapiens”. Mas há muita inteligência no mundo. (L. Dowbor)