O trabalho de Cássia é uma tese de doutorado em Saúde Pública da USP, defendida em dezembro de 2004.

Biblioteca da Faculdade de Saúde Pública da USP

O trabalho da Cássia, orientado pela professora Fabíola Zioni,  permite um olhar aprofundado sobre estratégias de sobrevivência de uma comunidade pobre num mundo imenso e caótico como é a cidade de São Paulo. Os pobres da cidade podem ser muitos, mas não são um amontoado de pobres: a sua luta pela sobrevivência na cidade tem história, são articulados na defesa dos seus interesses, batalham de forma organizada contra ameaças e pressões, construiram a sua identidade.
A “Cratera”, pequena região que constitui literalmente uma cratera na zona sul de São Paulo, possui forte identidade, e o histórico bem organizado das suas formas de sobrevivência, a batalha pelo saneamento, a busca de alternativas de geração de renda, adquire nesta abordagem histórica, que conta simplesmente o “caso como o caso foi”, um grande interesse.
A visão tradicional é de que a população invade áreas de mananciais e não tem consciência dos danos causados. Neste caso, quem joga esgoto a céu aberto é o Estado, através do presídio construído na região, e é a população que limpa. Organizaram a sua rádio comunitária para organizar as ações ambientais e de desenvolvimento. Quem é ilegal nesta história?
Um trabalho como este merece ser lido, pois mostra uma vez mais que os programas de apoio têm de partir da própria organização dos moradores, respeitar as suas complexidades, negociar com as lideranças reais.


 


 


 


 

Autor: Cassia maria Carraco Palos