Dissertação de Mestrado em Administração defendida em 28 de setembro de 2005, no IMES- São Caetano, sob orientação do Prof. Jeroen Klink

Com o autor,

Importância do “pequeno turismo”: O trabalho de Moretto é uma análise interessante de formas de se dinamizar gestão participativa, a partir do caso de Paranapiacaba, no município de Santo André. Para quem não conhece, Paranapiacaba constitui uma pequena ilha urbana, de pouco mais de mil habitantes, no alto da Serra, e foi uma base ferroviária construida ainda pelos ingleses, no tempo da São Paulo Railway, rota do Café para o porto de Santos. Com o fim da fase áurea ferroviária, a região estagnou, apesar da beleza arquitetônica, do clima especial, da mata atlântica. Com a iniciativa de Santo André, que apesar de distante é a sede municipal, Paranapiacaba foi de certa maneira reanimada, baseada desta vez no “pequeno turismo”, baseado mais em pousadas e hospitalidade do que em grandes hotéis e altos  preços. Neste sentido é um estudo muito interessante para a área turística de pequenos municípios. O turismo passou de 41 mil em 2002, para 154 mil em 2004, surgiram lideranças comunitárias, constituiu-se um Conselho de Representantes, houve capacitação de agentes públicos, o pouco dinheiro público entrou na lógica do orçamento participativo. É um exemplo interessante de uma comunidade que, com um pouco de ajuda e estímulo do prefeito, tomou o seu destino em suas mãos e está se desenvolvendo. O desemprego baixou de 60% para 38%, a renda média subiu de 150 para 266 reais. É pouco, sem dúvida, mas é uma demonstração eloquente de que pequenas iniciativas podem gerar novas dinâmicas. E que a sempre comentada “viabilidade” dos pequenos se constrói.  

Autor: Marco Moretto neto