Quinhentos dias no Front da Segurança Pública do Rio de Janeiro

Luiz Eduardo Soares, Companhia das Letras, São Paulo, 85-359-0079-9

O livro do Luiz Eduardo Soares é uma leitura necessária. Ninguém duvida hoje que estamos lentamente descambando para uma profunda desagregação social que envolve a corrupção no topo das instituições governamentais, crime organizado que inclui grandes bancos e empresas respeitáveis, e a tragédia do cotidiano dos 100 milhões de miseráveis do país. A roubalheira política, a sem-vergonhice empresarial e a truculência policial encontram terreno fértil na miséria da população. São Paulo tem hoje 30 assassinatos por dia, mais de 400 carros roubados. A segurança está emergindo como problema número um do país.

Luiz Eduardo foge à simplificação da direita, que diz que basta bala e porrete, ou da simplificação da esquerda que tende a nos fazer aguardar a justiça social para enfrentar o problema. Não se enfrenta crime organizado, por exemplo, aguardando melhores condições para os pobres.

Em termos práticos, as propostas de Luiz Eduardo se traduzem na luta pela segurança através da reconstrução do capital social, articulando ações sociais e ações repressivas, no que ele chama de “terceira via”, mas que é simplesmente a construção de um desenvolvimento social integrado.

É muito impressionante ver como uma série de políticas sociais, nas áreas de educação, saúde e outras, quando associadas com uma política de segurança, devolvendo a uma comunidade a sua auto-confiança, se tornam incomparavelmente mais produtivas, e geram resultados palpáveis.

Tem razão Luiz Eduardo ao afirmar que temos de ver o problema da segurança de frente, e enfrentar os seus desafios. Os segmentos democráticos da nossa sociedade nunca gostaram muito das políticas de segurança, já que por tradição sempre foram, por assim dizer, mais consumidoras do que produtoras.

O livro do Luiz Eduardo vem preencher uma imensa lacuna. É bem escrito, direto, sincero, e repleto de propostas práticas. Não perca.